quarta-feira, 8 de julho de 2015

DORES NAS HÉRNIA DE DISCO: FORTALEZA INOVA COM TÉCNICAS MENOS AGRESSIVAS E MAIS EFICAZES

O tratamento das hérnias de disco tem evoluído bastante nos últimos anos. Das grandes cirurgias, passamos para as técnicas mini-invasivas e intervencionistas, e, agora, com o desenvolvimento de novos medicamentos para controle dos componentes neurais da dor, podemos associar técnicas infiltrativas guiadas por imagem a tratamentos clínico altamente eficazes.

Na Unidade Intervencionista do CENTRO MÉDICO DA COLUNA VERTEBRAL você pode ter acesso aos maiores avanços desta área, sendo tratado com excelência e resolutividade.

Associado a toda esta tecnologia, você dispõe, ainda, de uma equipe multidisciplinar com médicos, psicólogos, educadores físicos e fisioterapeutas especializados em um tratamento personalizado e feito para você, na medida certa, sob coordenação de um especialista altamente qualificado.

Visite nosso site: http://www.centromedicodacoluna.com.br/

Centro Médico da Coluna Vertebral
Torre Saúde São Mateus
Av. Santos Dumont, 5753, Sala 206
Fortaleza - Ceará - Brasil
Fone/Fax: (85) 3265 8300 e (85) 3242 9263

AMPLIAÇÃO DOS HORÁRIOS DE ATENDIMENTO DO CENTRO MÉDICO DA COLUNA VERTEBRAL AOS SÁBADOS.

Para atender às crescentes necessidades de breve atendimento de nossa clientela, o Centro Médico da Coluna Vertebral estará abrindo atendimentos e procedimentos eletivos nos dias de sábado. Nossa decisão atende principalmente à demanda de vários pacientes de outros estados que desejam realizar seus tratamentos na brevidade de um final de semana, sem qualquer perda de atividades de trabalho. Nossas secretárias estão disponíveis para maiores informações e todos os serviços de laboratório, clínica de imagem, salas de procedimentos intervencionistas e cirurgia estarão igualmente disponíveis para dar a brevidade necessária aos tratamentos de nossa clientela de outras regiões do Brasil.

Sejam bem-vindos!

Dr Henrique da Mota, MD, AFSA
Diplomado em Ortopedia e Traumatologia pela Université de Lyon – França.
Residência em Ortopedia no Hôpital Edouard Herriot - Lyon – França.
Residência em Cirurgia da Coluna Vertebral - Hôpital des Massues – Lyon – França.
Membro da Sociedade Francesa de Ortopedia e Traumatologia - SOFCOT.
Especialização em Cirurgias Mini-invasivas – Université de Bordeaux - França.
Especialização em Intervencionismo da Coluna – Université de Strasbourg – França.
Especialização em Neuroestimulação - Hôpital Pierre Wertheimer - Lyon - França.

terça-feira, 7 de julho de 2015

NAS FÉRIAS AUMENTA A PROCURA PELOS TRATAMENTOS NO CENTRO MÉDICO DA COLUNA, MAS MANTEMOS NOSSA VELOCIDADE!


O mês de julho é especial. Recebemos uma quantidade extra de pacientes oriundos principalmente do Sul e Sudeste do Brasil que conciliam suas férias com seus tratamentos de problemas crônicos da coluna vertebral em nosso centro de referência. Temos organizada toda uma logística para atender ao conforto desta clientela e de suas famílias. A maior parte destes clientes não quer perder tempo e organizamos um tratamento completo em menos de 24 horas, com realização de consulta, solicitação e retorno para avaliação de exames diagnósticos, realização de procedimentos para controle das dores crônicas e alta. Muitos destes clientes já se dirigem para seus hotéis e divertem-se após a realização dos nossos tratamentos, pois estes tratamentos não necessitam de repouso ou limitações de atividades.

NAS DORES DA COLUNA E NAS HÉRNIAS DE DISCO A VELOCIDADE DE ALÍVIO É IMPORTANTE? PARA ISTO ESTAMOS AQUI!


O Centro Médico da Coluna Vertebral oferece o que há de melhor no combate às dores da coluna e às hérnias de disco através de uma abordagem rápida e precisa.
 
Em sua consulta, você será submetido a uma investigação minuciosa e a um exame detalhado, e poderá imediatamente ser encaminhado ao departamento de imagem, para realizar radiografias digitais, tomografias computadorizadas ou ressonâncias magnéticas nucleares, com a presença do especialista em seu exame. Assim, podemos fazer uma rápida e precisa identificação de seu problema e propor tratamentos médicos, intervencionistas ou cirúrgicos com bastante objetividade. Em caso de necessidade imediata de procedimentos de urgência, temos setores especialmente preparados para estas finalidades, que estão disponíveis 24 horas ao dia, 7 dias por semana, com equipe de anestesistas e auxiliares sempre à disposição para rápida entrada em ação.
 
É isto que faz nosso sucesso e que traz a sua satisfação!

sábado, 4 de julho de 2015

CLONIDINA: UMA ESPERANÇA NOS TRATAMENTOS DAS DORES NEUROPÁTICAS NAS NAS HÉRNIAS DE DISCO

As hérnias de disco e diversas outras patologias degenerativas da coluna vertebral cursam com dores de grandes intensidades, trazendo grandes sofrimentos e limitações aos pacientes. As terapias usualmente realizadas encontram duas dificuldades: ou são muito agressivas como as cirurgias; ou são prolongadas ou inúteis como os antiinflamatórios e fisioterapias. 

Mas o recentes desenvolvimentos de pesquisas básicas e aplicadas mostram novas soluções mais inteligentes, eficazes e menos agressivas. Este é o caso da Neuroporação por Clonidina.

Vários são os trabalhos que mostram os mecanismos de ação deste recente "milagre terapêutico". Imaginem um medicamento que pode tratar casos graves de dores na coluna de forma rápida e com uma simples injeção! A clonidina epidural merece toda a nossa atenção. 

Vejam alguns trabalhos importantes:

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/9744924


Sejam bem-vindos! Estamos a sua disposição para estes tratamentos no Centro Médico da Coluna Vertebral

Dr Henrique da Mota, MD, AFSA

Diplomado em Ortopedia e Traumatologia pela Université de Lyon – França.
Residência em Ortopedia no Hôpital Edouard Herriot - Lyon – França.
Residência em Cirurgia da Coluna Vertebral - Hôpital des Massues – Lyon – França.
Membro da Sociedade Francesa de Ortopedia e Traumatologia - SOFCOT.
Especialização em Cirurgias Mini-invasivas – Université de Bordeaux - França.
Especialização em Intervencionismo da Coluna – Université de Strasbourg – França.
Especialização em Neuroestimulação - Hôpital Pierre Wertheimer - Lyon - França.

domingo, 28 de junho de 2015

HÉRNIAS DE DISCO E DORES NA COLUNA: NÃO DÊ OUVIDOS AOS MITOS PERIGOSOS

As patologias degenerativas dos discos, com ou sem hérnias, podem produzir dores em algumas pessoas ou cursar sem qualquer tipo de dor em outras. Assim, nem todas as hérnias produzem dor e nem tudo que produz dor na coluna é hérnia, mesmo na presença de uma. Além disso, as dores eventualmente ocorridas nos pacientes com hérnias, por sua vez, resolvem-se sozinhas, dentro de poucos dias, na maior parte das pessoas, sendo poucas aquelas pessoas que terão uma dor permanente. Assim, poucas são as pessoas que precisam tratar-se de hérnias de disco.

Mas nas pessoas que tem dores permanentemente, que vão além de dois a três meses, é recomendável um tratamento médico adequado e que deve ser bem entendido, pois não necessariamente deve estar voltado para a hérnia em si, uma vez que, como já dissemos, a hérnia pode ser um achado frequente em pessoas sem qualquer sintoma. Nestes casos, a dor presente está sendo mantida por um quadro de inflamação além do normal e esta inflamação exagerada causa, dia após dia, lesões corrosivas progressivas sobre os nervos. Eis o que deve ser tratado!

O tratamento deste quadro de lesão corrosiva dos nervos, chamado pelos médicos de neuropatia, é puramente farmacológico, sem a necessidade de qualquer cirurgia, mesmo na presença de hérnias "grandes". O interessante é que não existe qualquer relação entre a intensidade de dor e o tamanho de hérnia. Hérnias grandes podem estar presentes sem nenhuma dor e hérnias minúsculas podem cursar com dores extremamente intensas. Outro mito que deve ser desfeito é o mito compressão... Mesmo que o senso comum e até mesmo alguns médicos ainda espalhem esta história de que hérnia causa dor porque comprime o nervo, a dor causada por compressão é algo raro, muito raro. O fator mais importante como causa de dor é a alteração do ambiente bioquímico tornado ácido pela inflamação e a consequente lesão corrosiva causada nos nervos. Nestes casos, a cirurgia de nada adianta, podendo até causar piora do quadro por aumentar a lesão tecidual na região.

Outro mito que deve ser desfeito para o bem dos pacientes é o de que exercícios e fisioterapias são tratamentos para hérnias de discos e de dores na coluna. Este é um erro de raciocínio primário, pois, como vimos acima, sendo a causa da dor a inflamação associada a corrosões em estruturas dos nervos, na vigência de uma inflamação e de uma corrosão, os exercícios e as fisioterapias podem aumentar as duas, causando uma piora da intensidade das dores com a facilitação da cronificação da doença. De uma forma a ajudar o tratamento médico, os exercícios e as fisioterapias só devem ser feitos se o aspecto inflamatório e lesional estiver sob controle, e sob ordem direta do médico especialista, que é o único que pode avaliar esta situação, não sendo inteligente se dirigir a qualquer tratamento de reforço muscular, alongamento, tração, mobilização, manipulação, etc, antes da ordem de seu médico especialista sabedor desta realidade.

Outra mania que também deve ser desfeita é a do uso de antiinflamatórios, analgésicos e relaxantes musculares no tratamento destes pacientes. Sabemos que diante de dores nas costas é muito comum o uso de remédios por automedicação ou por indicação de balconistas de farmácias. Isto não é correto e pode lhe trazer graves problemas futuros. Já sabemos que a causa da dor persistente na coluna costuma ser uma inflamação fora do controle, mas isso não quer dizer que a inflamação deva ser erradicada totalmente com antiinflamatórios potentes. De fato, a inflamação deve ser mantida sob controle para que possa cumprir sua função de cicatrização e reparação. Sem inflamação não ocorrerá a reparação necessária do tecido lesado. Daí, cuidado com o uso não prescrito de antiinflamatórios. Além dos antiinflamatórios, usa-se com muita frequência o analgésico. Esse comportamento de mascaramento da dor também pode trazer graves consequências, pois a dor é apenas uma consequência e o analgésico em nada contribui para a melhora da causa da dor. É algo paliativo e que pode, uma vez que melhora a dor, a ilusão de melhora e a prática de movimentos acima dos realmente toleráveis, agravando a inflamação e a lesão tecidual. Ou seja, o analgésico pode aumentar a inflamação e a própria lesão. 

No caso dos relaxantes musculares, já está bem claro, através de vários estudos bem conduzidos, que seu uso em nada acrescenta ao tratamento de dores lombares ou cervicais. De fato, a contratura muscular é uma defesa necessária para a melhor reparação tecidual e o uso de medicamentos que desfaçam esta contratura poderiam agir contra um mecanismo fisiológico, trazendo prejuízos e não vantagens.